quinta-feira, 14 de setembro de 2017

JOSÉ CARLOS ALVES(o Baixinho) REFERÊNCIA NO RÁDIO LOCAL VOLTARÁ A APRESENTAR SEU POPULAR PROGRAMA

José Carlos Alves é uma brilhante referência no rádio local
 <>"Ele voltou, o boêmio voltou novamente" são versos de um sucesso avassalador do inesquecível cantor Nelson Gonçalves. O popular radialista José Carlos Alves chamado carinhosamente de "baixinho" é um conhecido abstêmio, não ingere bebidas alcoólicas mas voltará novamente ao microfone de uma conceituada emissora de frequência "FM" com o objetivo de apresentar um aguardado programa que dará enfoque especial ao eterno cantor Nelson Gonçalves que só perdeu em popularidade para Roberto Carlos. A informação invadiu a bela cidade e deixou eufóricos os apreciadores da boa música. José Carlos Alves marcou definitivamente seu nome na galeria dos grandes radialistas, pois os programas por ele apresentados sempre se destacaram pela qualidade e por uma incrível audiência que o tornaram bastante popular. Este estimado cidadão nasceu em Fortaleza vindo para a terra dos monólitos no ano de 1960 e em pouco tempo, conquistou um grande número de amigos, sempre participando de ações voluntárias e dando sua valiosa contribuição ao esporte local, pois o futebol é uma de sua grandes paixões sendo torcedor fanático do Fortaleza Esporte Clube e do Fluminense. Aprendeu com os pais Antônio Alves Moreira e a doce Maria José Alves a ser solidário com aqueles que em determinado momento da vida passam por dias incertos e precisam de um ombro amigo. Solidariedade é uma realidade que faz parte da vida de Zé Carlos o que o tornou querido e respeitado. No abandono a que foi relegado o craque Zé Leônidas que tantas glórias deu ao nosso futebol, foi o "Baixinho" que lhe prestou toda assistência necessária, juntamente com sua querida Osmarina, o anjo da guarda de sula vida com quem se casou no ano de 1954, nascendo desta   bendita união os filhos Francisco Carlos, Antônio de Pádua, João Batista, Socorro, Escolástica e Francisco José. O "Baixinho" nos confidenciou que passou por alguns problemas de saúde mas, segundo o próprio, a fé em Cristo e na mãe de Deus lhe deram forças para superar esta difícil fase. Faz questão de tornar público a solidariedade que recebeu do  amigo Quin, seu vizinho e que hoje habita o reino de Deus e também a solidariedade de outros amigos verdadeiros. No momento em que nos fez este relato, lágrimas rolaram em seu rosto  por causa da saudade do grande amigo. Durante algum tempo apresentava seu programa que era levado ao ar pela Rádio Monólitos, diretamente de sua residência o que não prejudicou em nada a extraordinária audiência. Mesmo não tendo nascido na terra dos monólitos, o comunicador pode ser considerado uma joia quixadaense, pois a sua presença e voz podem ser consideradas coisas nossas. Ele é com certeza, uma brilhante referência de nosso rádio. As vozes de José Carlos Alves e de Nelson Gonçalves voltarão a enfeitar nossos momentos tornando-os mais leves e prazerosos. Volte logo baixinho e fique sabendo que somos todos teus fãs.  Aguardamos, ansiosamente, a sua volta ao microfone e melhor ainda, agora em uma frequência "FM". E fazendo alusão a uma célebre canção de Nelson Gonçalves afirmamos que "Depois da boemia é do programa do "Baixinho" que mais gostamos!                                  
José Carlos ganhou popularidade ao apresentar programas com canções do mito Nelson Gonçalves




.........................................................................................................................................................................

terça-feira, 15 de agosto de 2017

ZEZINHO DA AGÊNCIA- AGENTE DA PRIMEIRA EMPRESA DE ÔNIBUS A ATUAR EM QUIXADÁ ERA UMA PESSOA ESTIMADA POR TODOS


A terra dos monólitos é uma das mais bem servidas na disponibilidade de transporte de passageiros que se deslocam para várias partes do Brasil. Destacadas empresas de ônibus atendem pessoas que desejam se dirigir aos mais diversos destinos. Aqueles que necessitam viajar a capital cearense têm a disposição muitos horários e durante todo o dia. Tão diferente daquele Quixadá dos anos 60 do século passado quando apenas duas viagens, nos horários de 5:00 e 14 horas aconteciam  e somente uma agência fazia o atendimento. Localizava-se na Avenida Plácido Castelo, onde hoje funciona uma ótica nas proximidades da rodoviária. O chefe da agência, cargo que conseguiu depois de alguns anos apenas como funcionário sempre trabalhando com seriedade e honestidade foi ocupado pelo esforçado jovem José Viana de Sousa, nascido no então distrito de Serra Azul em 25.01.1925. A forma carinhosa como tratava os passageiros e a todas as pessoas da comunidade fez com que ficasse conhecido em toda a região como "Zezinho da Agência". Aquele local não se limitava a receber passageiros, mas muita gente ali comparecia com o objetivo de pegar jornais e revistas que vinham da capital e traziam as informações do que se passava no mundo todo. A agência pertencia a empresa Redenção, pioneira no transporte de passageiros, fundada no ano de 1936 pelo patriarca José Guilherme da Costa com o objetivo de fazer a linha Fortaleza/Redenção, inicialmente em apenas um horário. A partir do ano de 1957 passou a explorar a linha Quixadá/Fortaleza e merece destaque o fato de não acontecer viagens em tempo de invernos rigorosos. Um detalhe que merece destaque é o fato de que o fundador da empresa cuidava pessoalmente em resolver os problemas ocorridos nas viagens. O Senhor Guilherme, falecido em 1986, tinha grande consideração ao querido Zezinho, inclusive dando-lhe carta branca para resolver os problemas na filial da terra dos monólitos. O senhor Ludgero Guilherme, irmão do pioneiro e que fez nascer a empresa Redentora, também depositava grande confiança no agente quixadaense. Com o passar dos anos, o movimento na agência aumentou de forma considerável e foi aí que o filho de Zezinho, o Lucivaldo, passou a trabalhar naquele local. Ali, meados dos anos 60, a cidade crescia a passos largos surgindo novos bairros, como por exemplo, o Campo Novo, além da ocupação de vários espaços por pessoas que vinham inclusive de outras partes do Ceará. Ao sair do trabalho, Zezinho gostava muito da convivência com os amigos e uma de suas brincadeiras prediletas era colocar apelidos mas apenas naqueles mais íntimos. Gostava de participar de serestas com os amigos e ouvia com atenção aqueles tristes acordes produzidos pelo violão do amigo Ribamar Ribeiro e do bandolim mágico do Mestre Adolfo Lopes. Algumas vezes, se arriscava a cantar uma música de Nelson Gonçalves mas reconhecendo não ter talento para a arte de cantar. Quando dispunha de tempo frequentava o Cine Yara somente na exibição de filmes com Oscarito, Grande Otelo e Zé Trindade. Gostava muito e aplaudia o bloco dos sapateiros e o icônico "Foliões da Bossa Nova", comandado pelo brincante Zé pereira. Sempre lembrava gostar do natal e, na verdade, todos os anos ele participava dos natais na praça, visitando as barracas, especialmente as da dona Luiza Lopes. Enfim, era uma pessoa que gostava de estar perto da família e dos amigos e, quando podia, ajudava aqueles que enfrentavam algumas dificuldades. É do conhecimento de quantos o conheceram o fato de conseguir passagens para aqueles que não tinham condições de pagar. Zezinho foi casado com a bondosa senhora Margarida Rodrigues de Sousa e desta abençoada união nasceram os filhos: Lucia Eleide, Lilrene, Lucivaldo, Teresa Lucielne, Lucinaldo, Lucimary e Lucineuly.Conhecendo um pouco da figura de Zezinho da Agência estamos permitindo aos mais jovens aquele gostinho saboroso de conhecer um Quixadá lindo e maravilhoso que não viveram, mas agora conhecem um pouco. Aos de mais idade,  a saudade daquelas demoradas mas divinas viagens até Fortaleza. Nós, os quixadaenses, sentimos saudades daquele Quixadá ainda pequeno, é bem verdade, mas tínhamos tudo para ser felizes. Hoje, a violência e outros fatores negativos roubam a nossa verdadeira alegria. Só nos resta fechar os olhos e lembrar daquela cidade que mais parecia o céu aqui na terra. Com certeza, lembrar da figura de Zezinho da Agência é ser transportado a um tempo em que tínhamos fé nas pessoas, onde a bondade, a honestidade, o caráter era como se fosse uma lei a ser cumprida. José Viana de Sousa, o inesquecível Zezinho foi chamado por Deus para outras missões que lhe foram confiadas em 7.05.1980 e o seu sepultamento ocorreu sob grande comoção, pois a todos conquistou com sua humildade, sua alegria e um grande amor a família e aos amigos..
Ele conquistou a todos com simplicidade e bondade
Zezinho tinha um grande amor a familia e aos amigos

Os ônibus da empresa redenção eram os favoritos para viagens-retirada da Internet
Sr. José Guilherme em imagem de 1937-retirada da Internet
...................................................................................................................................................................................................................................

domingo, 13 de agosto de 2017

QUIXADÁ MASTER 2017 BRILHA EM COMPETIÇÕES ESTADUAIS

Olhem aí, amigos, as feras do Quixadá master 2017. Estas feras canarinhas conquistam importantes títulos para a terra dos monólitos. Claro que, na categoria que participam. Pela ordem(começando da esquerda): Zé Aldir, Nilclecio, Roberto, Tadeu, Tim, Manoel, Marquinhos, Risone, Pedro, Marquinhos II, Paulo, Sargento Evanildo, Dedé, Major Soares, Pedrinho, Ednardo, Juliano, Sissi, Ary Dinamite, Marcos, Junnior, Mundinho e Cassiano. Caso haja necessidade de correção de nomes, por favor, façam a correção nos comentários

MEMÓRIA DO FUTEBOL QUIXADENSE-IMAGEM RARA DO GUARANI FUTEBOL CLUBE DA TERRA DOS MONÓLITOS

<>Olha aí, amigos, o Guarani do Dedé França na década de 80(século passado). Pela ordem: Adailton, Ary Dinamite, Adamilton, Karlira, Laércio, Didiu, Neto, João Bosco, Erivelton, Paulo, Wellington, Cláudio,II, Cláludio, Gilson e Cóia Zico. Esta equipe participou de diversas competições esportivas sempre obtendo posições de destaque.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Dr. GUTEMBERG FAZ CORAÇÃO DOS OUVINTES DO RÁDIO BATER MAIS FORTE


<> Todos já o conhecem como médico especialista que atua na área da cardiologia. Já faz um bom tempo que cuida de diagnosticar e tratar das doenças do coração. A forma carinhosa como trata seus clientes o fez profissional respeitado e querido na comunidade. Mas, quem imaginaria ser ele detentor de um talento que mantinha bem escondidinho até agora, ou seja, o talento de comunicar somente agora resolvendo sair do armário. Agora, não é procurado apenas nos espaços médicos. Todas as manhãs, os ouvintes de rádio o localizam nas ondas da Meio Norte FM de Quixadá para ouvir suas análises sobre os mais diversos assuntos e exploradas com talento e fina ironia. Simples e dedicado em tudo que faz, garante não pretender ser um grande comunicador, mas apenas realizar uma de suas paixões e contribuir para uma melhor qualidade de vida das pessoas através de críticas construtivas que visam chamar a atenção das autoridades para o atendimento das necessidades básicas da população. Ao lado do icônico radialista Jonas Sousa, Dr. Gutemberg vai conquistando com simpatia e talento um público fiel. Ele ao lado de Jonas leva uma boa informação e esperança para aqueles que têm na figura do radialista um grande amigo de todas as horas. Nascido em Recife-PE no ano de 1966, veio para a terra dos monólitos em 1994, não demorando a conquistar o respeito e o carinho dos quixadaenses. Estudou durante 6 anos na Universidade Federal da Paraíba. Fez residência médica na área da cardiologia em São Paulo. Trabalhou durante algum tempo no Hospital Eudásio Barroso; no programa da família em Custódio e no "SESP" fazendo ambulatório de cardiologia. Atendeu por alguns anos na clínica do Dr. Ventura. No ano de 1997, inaugurou um laboratório de análises clínicas e no ano seguinte, foi eleito o melhor médico de acordo com votação popular numa promoção do Jornal "ClassiQuixadá". Atendeu e atende em outras cidades do Ceará e a Cardioclínica sob a sua orientação é bastante procurada por aqueles que necessitam de um atendimento de qualidade. Contamos um pouquinho da trajetória deste popular médico que já o consideramos filho de Quixadá. Agora, é ficarmos do seu lado neste novo momento. Nós que já o aplaudimos como médico, também o faremos nesta sua nova atividade como radialista. Um abraço de todos os amigos, Dr. Gutemberg!
Dr. Gutemberg conquista ouvintes do rádio


Jonas e Gutemberg apresentam programa jornalístico nas manhas do radio quixadaense

Ao lado de Jonas Sousa conquista um público fiel
...................................................................................................................................................................

domingo, 30 de julho de 2017

PROFESSOR QUIXADAENSE BUSCA APOIO PARA A PRODUÇÃO DO PRIMEIRO DVD DO CONSAGRADO SANFONEIRO CHICO JUSTINO

O público aguarda o primeiro DVD do querido sanfoneiro

Nos seus discos a louvação das coisas nordestinas
<> Vamos rebocar a parede da sala prá gente dançar ao som da sanfona de Chico Justino. Vem aí o seu primeiro e tão aguardado DVD. Ele quando toca, com certeza, o povo gosta. Justino é poesia pura. Aquele som que sai de sua sanfona nos transporta as coisas mais belas do sertão como um fogão a lenha preparando um gostoso café, lembra um bom vaqueiro nas quebradas do sertão, uma lamparina com aquela luz azulada que parece vir do céu ou um sertanejo com aquela cabaça transportando água. Eita, sanfoneiro macho! Olhem para o rosto dele. Parece um mapa de um pedaço do sertão, não é? O homem tá famoso e hoje é reconhecido em todo o Brasil. Grandes medalhões como Dominguinhos e Luiz Gonzaga falaram que o homem é bom. Mas, aqui para nós, não falem isso na frente dele, pois este cidadão de Capistrano transmite simplicidade e aí está uma de suas grandes marcas. Apesar da dimensão que alcançou na sua carreira, Chico continua aquela pessoa bondosa e atenciosa com todos. Assim como chuva no sertão, a notícia da produção deste DVD já está movimentando os amantes do autêntico forró em todo o estado. Com o objetivo de obter mais informações sobre este projeto, procuramos o justinista maior que conhecemos que é o professor Assis Lopes que nos repassou informações preciosas. Para começo de conversa, Assis destacou que um dos objetivos desta produção é deixar na história a musicalidade, a genialidade de Chico Justino, além de servir de bússola para aqueles que querem se dedicar a este símbolo nordestino que é a sanfona.Faz questão de ressaltar que na atualidade, ele é reconhecido em todo o Brasil, inclusive se apresentando com nomes de pesos da MPB e também participando de várias gravações. Cita, por exemplo, o fato de Dominguinhos ter feito questão de levá-lo nas suas andanças pelo Brasil. A majestade do baião, Luiz Lua Gonzaga, fazia ótimas referencias ao Chico. Nos informou ainda que o talentoso artista veio para Quixadá pelas mãos do mestre Dudu Viana onde morou e atuou em alguns grupos musicais ou se apresentando apenas com o instrumento. Assis conheceu Justino em Capistrano, anos 70, quando ele dava os primeiros passos no toque da sanfona acompanhado pelo respeitado pandeirista da serra de Baturité, Vicente Pinto. Não demorou muito tempo e o sanfoneiro ainda na doce juventude começava a roncar seu fole nos espaços sertanejos e a turma já adorava brincar, quer dizer, dançar ao som do bamba de Capistrano. Segundo Assis, muita gente namorou e até casou ouvindo e dançando ao som deste sanfoneiro.. E disse mais que seu primeiro instrumento foi uma sanfona chamada "Pé de bode" que o pai lhe presenteou ao receber como pagamento de uma dívida. No começo, o pai não se interessou muito pelas tentativas de Chico em aprender a tocar o instrumento, mas com o tempo passou a apoiá-lo ao perceber que ele levava jeito. O documentário mostrará o sanfoneiro ainda menino dando os primeiros passos  na localidade de Pesqueiro em Capistrano. Certamente, serão mostradas imagens da terra dos monólitos, Canindé, Quixeramobim e de outras localidades do Ceará. O atual momento do artista que hoje tem residência em Fortaleza, onde é bastante popular, terá um destaque todo especial. A produção  de um DVD exige uma logística profissional e as enormes dificuldades são conhecidas por aqueles que são do ramo. Por isso mesmo, muita gente está envolvida no projeto, não apenas da área musical mas fãs do artista, colegas de trabalho, amigos e empresários. Aqueles que atuam na área comercial da terra dos monólitos também farão sua parte ajudando aos produtores com publicidade sabedores que são da dimensão da arte de Chico Justino. O professor Assis é o coordenador do projeto aqui em Quixadá e não é difícil encontrá-lo nos diversos locais da bela cidade na busca de apoiadores para a produção do DVD. Sabe-se que na capital cearense o ritmo de produção já está bastante adiantado. O povo nordestino é sábio e aprova com louvor a iniciativa desses idealizadores e guerreiros que lutam para divulgar a verdadeira arte sertaneja nos mostrando que ela ainda respira. Não é fácil conquistar o respeito e um público fiel tendo a música instrumental  como base de seu trabalho. Ele conseguiu porque seu talento é inquestionável. Enquanto o DVD não chega em nossas mãos, vamos colocar um disco de Chico Justino e dançar bem coladinho imaginando se encontrar numa sala de reboco numa simples casa deste sertão de Luiz Gonzaga, Padre Cícero, Patativa do Assaré e Frei Damião. Palmas para Chico Justino! Ele merece!
Professor Assis busca apoiadores para a produção do DVD do seu amigo Chico Justino
O primeiro LP- um grande sonho
O músico prefere a simplicidade
.............................................................................................................................................................................................................................................................

domingo, 23 de julho de 2017

FRANCISCO DE ASSIS(COMBOY)- UM CANTO DE AMOR À VIDA

Comboy é fã de Jonhn Wayne
Comboy-um canto de amor à vida
              
Adolfo Lopes e Zé Adolfo eram grandes amigos de Francisco Assis Alves, o Comboy
          Quem passa  pela Avenida Plácido Castelo tem a bendita oportunidade de encontrar uma doce presença, um ser humano cheio de alegria, olhar de bondade, cheiro de gente boa,e os lábios sempre a lembrar que " A vida é bela"". Francisco Assis Alves, conhecido por todos como "Cowboy", apelido carinhoso que ganhou por ser um fã de carteirinha dos filmes do estilo bang-bang, é um grande exemplo de superação, uma inspiradora lição de vida, uma amostragem de que a vida é para ser enfrentada e jamais lamentada. Uma paralisia afetou uma parte motora do seu corpo mas nunca lhe tirou o amor pela vida, pela família, pelos amigos. Ele nos dá a certeza de que a felicidade é possível mesmo com nossas limitações. Deficiência não é desculpa para não sermos felizes. De forma alguma, de jeito nenhum!
Nosso comboy é da paz e do amor
   Cowboy, na sua mocidade, era frequentador assíduo do "Cine Yara" onde assistia com muita emoção, os famosos filmes de "bang bang". Assistir aqueles filmes era quase um sonho! Talvez se sentisse um Jonh Waine enfrentando os índios, uma estrela no peito, o relincho do cavalo amigo e salvando a mocinha dos bandidos. Tamanha era sua paixão pelo cinema que recebeu uma carteirinha do proprietário Zé Adolfo que lhe dava direito a não pagar a entrada. Hoje, batendo saudade, os seus irmãos José Patrício, Maria das Graças e Fátima, recorrem ao "dvd" mas não chega a alegrar o coração de Cowboy. Para ele, nada supera a magia da grande tela. E não há dúvida de que anos atrás, os cinemas eram um dos entretenimentos mais significativos das cidades interioranas. Não é só ele que tem saudades desse tempo maravilhoso. Mas todos nós!
         Francisco Assis Alves, o nosso Cowboy não usa coldre, não dá um tiro sequer! Ele nos transmite sim, paz de uma criança, doces palavras de um amigo, força para enfrentar as adversidades da vida! Ele nos mostra a maravilha de ser feliz com o que somos, com o que temos! E nos mostra que somos donos do nosso destino. Ele escolheu ser feliz!  E nós? Que Deus dê vida longa ao nosso Cowboy. Ele é o nosso herói!

Prédio onde funcionou o icônico"Cine Yara"
..........................................................................................................................................................................................................................................................................